Polo de Três Coroas representado no Prêmio Direções

Nesta quinta-feira, 25 de abril, a Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) completa 36 anos e entrega o Prêmio Direções para os cases de destaque do setor. No evento, que ocorre no Espaço TAO, em Novo Hamburgo, apenas para convidados, também serão apresentados os novos integrantes dos Conselhos Deliberativo e Fiscal da entidade. Empresas do polo calçadista de Três Coroas inscreveram cases e estão na expectativa pelo reconhecimento.
Na sétima edição, o Prêmio Direções já tem vencedores definidos, mas que serão conhecidos somente no dia do evento. “Os cases inscritos nos surpreenderam pelo alto nível, todos muito robustos e com chances de vencer. Foi uma tarefa complicada para o nosso corpo de jurados”, conta o gestor de Projetos da Abicalçados, Cristian Schlindwein.

AS CATEGORIAS
A premiação será concedida para os melhores cases nas categorias Gestão Industrial, Marketing, Internacionalização, Design e Sustentabilidade, além do jornalista responsável pela melhor matéria setorial escrita ao longo de 2018. “São dois prêmios por categoria, nas modalidades micro/pequeno e médio/grande portes”, explica o gestor.
Os vencedores, além do troféu do Prêmio Direções, recebem divulgação nos canais de comunicação da Abicalçados.O patrocínio é do Sicoob Ecocredi, Couromoda e Francal Feiras.

“Pedimos socorro”, diz Joel Brando Klippel em evento na Assembleia gaúcha

Com plateia lotada por lideranças empresariais e entidades da cadeia produtiva coureiro-calçadista, os deputados Issur Koch e Dalciso Oliveira lançaram, na segunda-feira, dia 15 de abril, no Salão Júlio de Castilhos da Assembleia Legislativa, duas frentes parlamentares destinadas à defesa e apoio ao setor.
Em seu pronunciamento, o presidente do Sindicato da Indústria de Calçados, Componentes para Calçados de Três Coroas (SICTC), Joel Brando Klippel, apontou o movimento de migração de empresas gaúchas para outros estados, atraídas por incentivos fiscais, e enfatizou que o RS tem 350 mil trabalhadores vivendo da indústria sapateira. “A gente pede socorro e o que precisamos é um ICMS igual. Queremos competir de igual para igual com todos os estados do Brasil”, disse o dirigente.
O deputado Issur destacou que a intenção é somar esforços pela geração de emprego e renda. “Essa é a primeira vez que a Assembleia terá duas frentes destinadas a esse importante setor da economia gaúcha, mas que terão atuações distintas, sem deixar de complementarem-se entre si. Estamos colocando nossas vozes e nossos mandatos para diminuir a burocracia, para auxiliar nas esferas estadual e nacional a fim de que possamos retomar postos de trabalho e proporcionar o cenário ideal para quem empreende neste Estado”, anunciou.
Empresário do ramo há quase 26 anos, Dalciso destacou que as crises se acumularam e continuaram numa crescente durante este período. “Sem nos darmos por conta, ao invés de trazer novos negócios, evoluir a cadeia produtiva e abrir novos mercados para que produzíssemos com um custo satisfatório para o mercado, fizemos o contrário. Exportamos nossas matrizes para outros estados”, explicou.

ICMS DESLEAL
A crítica do parlamentar aponta a concorrência desigual que o setor enfrenta no País e que fica ainda mais desleal no Rio Grande do Sul, onde as alíquotas de ICMS estão acima daquelas que são praticadas em outros estados. “Enquanto os governos acharem que mantendo essas alíquotas resolverão a arrecadação do estado, nada vai mudar. O setor estará deixando de produzir, engavetando projetos gaúchos e contribuindo com a evasão das nossas empresas e o crescimento do setor em outros estados”, ponderou.

TRABALHO INTEGRADO
Presidente-executivo da Abicalçados, Heitor Klein falou da importância das duas frentes atuarem em conjunto. “A indústria de calçado tem papel preponderante na geração de emprego. Vivemos um momento delicado para a cadeia produtiva e contamos com um trabalho integrado para que o setor possa retirar entraves para seu desenvolvimento”.

EMPREENDEDOR COMO PARCEIRO
O presidente da Associação das Indústrias de Curtume do Rio Grande do Sul (AICSul), Moacir Berger de Souza, disse que as frentes têm muito a contribuir pelo setor. “Os governos em todas as esferas precisam ver o empreendedor como um parceiro. Contamos com o trabalho das frentes para sensibilizarmos os governantes a adotarem políticas públicas que criem um ambiente favorável aos negócios”, finalizou.

Frente Parlamentar vai debater a situação da indústria calçadista no RS

Na segunda-feira, dia 15 de abril, o deputado Dalciso Oliveira (PSB) coordenará instalação de uma Frente Parlamentar para debater a redução dos empregos, a migração de empresas e a desindustrialização do setor coureiro-calçadista. O encontro ocorre no Salão Júlio de Castilhos da Assembleia Legislativa, às 8h30.
O deputado, empresário do setor, explicou que o objetivo é trazer à tona a situação atual da cadeia produtiva e incentivar as empresas do setor coureiro-calçadista para que não sejam engolidas pela crise, responsável pelo fechamento de muitas unidades produtivas nos últimos anos.
Segundo dados de 2016 apurados pela Abicalçados, naquele ano o Estado do Rio Grande do Sul tinha 2.461 empresas de calçados. Em 2007, no entanto, eram 3.166, ou seja, houve uma queda de 22,3%.
O deputado acredita que, somente com a modernização do parque industrial, a melhoria dos aspectos logísticos na infraestrutura em geral e, em especial, partir de uma maior atenção do poder público, o desempenho setorial poderá ser melhorado, mantendo o ritmo de tempos anteriores e até mesmo possibilitando a retomada do crescimento a partir de 2019. “Atuar com sinergia entre os diferentes atores do setor público e privado também é fundamental para evitar a anunciada derrocada deste importantíssimo setor, patrimônio do povo gaúcho, que há mais de cem anos é pioneiro e protagonista na produção de couros e calçados”, argumenta o deputado.

REVISÃO DAS ALÍQUOTAS FISCAIS
O parlamentar enfatiza que é extremamente necessário dedicar um olhar especial para esta cadeia produtiva em termos de alíquotas fiscais. “Defendo que precisamos trabalhar pela equiparação das alíquotas interestaduais do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), visando acabar com a conhecida e nefasta guerra fiscal. Também precisamos examinar e esgotar todas as possibilidades de uma política fiscal que compreenda e trate os tributos como fator de competitividade à cadeia coureiro-calçadista, em especial pela sua alta capacidade de geração de empregos e ocupação de mão de obra.”

ICMS IGUAL PARA TODOS
O Sindicato da Indústria de Calçados, Componentes para Calçados de Três Coroas (SICTC) deu início, em 2018, à ação ICMS Igual para Todos. Com apoio dos sindicatos da região e também da ACI/NH/CB/EV, foi elaborado um documento contendo dados que demonstram a perda de competitividade do calçado gaúcho diante da alta carga tributária. A demanda é que o ICMS do RS (hoje entre 7% e 12%) seja equiparado ao do Estado de Santa Catarina, que tem crédito presumido subsidiado pelo Estado, o que efetiva uma alíquota de 3% do faturamento do mercado interno. Acesse o pleito, na íntegra, aqui: https://icmsigualparatodos.com/pleito/

Créditos imagem: Michel Pozzebon

Primeiro curso do SICTC em parceria com ACI é aprovado por participantes

Um grupo de 24 pessoas usufruiu da parceria entre o Sindicato da Indústria de Calçados, Componentes para Calçados de Três Coroas (SICTC) e a Associação Comercial, Industrial e de Serviços (ACI) de Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha, firmada recentemente. De 1º a 3 de abril, ocorreu o treinamento Venda Mais e Melhor, com Eduardo Fogaça. Este é o primeiro curso fruto da aproximação das entidades, cujo propósito é trazer a Três Coroas palestras e eventos com profissionais altamente qualificados e em sintonia com as demandas do mercado.
Presidente do SICTC, Joel Brando Klippel elogiou a iniciativa. “Um extraordinário passo foi dado para a capacitação e treinamento dos trabalhadores do Vale do Paranhana. A parceria firmada entre o SICTC e ACI tem o objetivo comum de qualificar nossos profissionais, oferecendo melhores oportunidades por meio do conhecimento”, disse, durante as boas-vindas, no primeiro dia do curso.
A gerente comercial da ACI, Maria Lúcia Chaves de Almeida, a Cota, agradeceu a confiança direcionada à entidade, ressaltando que os cursos, sempre com um viés atualizado de mercado, são disponibilizados a partir da própria sugestão dos participantes.

PARTICIPANTES ELOGIAM INICIATIVA
Responsável pelo desenvolvimento da Variettá, Gracieli Carvalho gostou muito da proposta. “Estou adorando o curso. Até sugeri algumas adequações na abordagem, já que muitos de nós já trabalhamos com vendas”, comentou. Sobre a facilidade de buscar conhecimento na própria cidade em que trabalha, ela acredita que faz toda a diferença. Dar espaço para que o cliente fale, ouvi-lo e compreender suas necessidades é uma das lições que chamaram a atenção de Gracieli.
Associados à entidade têm valor diferenciado para participar dos eventos, também abertos a demais interessados. Outras informações no (51) 3546-1346.

SICTC dá primeiro passo para projeto de hortas urbanas

Um grupo de 20 pessoas aprendeu, recentemente, todos os segredos sobre como produzir mudas e cultivar hortaliças. Nos dias 7, 8 e 11 de março, o Sindicato da Indústria do Calçado, Componentes para Calçados de Três Coroas, em parceria com o Senar-RS, ministrou formação, que culminou com a criação da primeira horta urbana de Três Coroas.

Houve compartilhamento de conteúdo por especialistas em sala de aula, além de atividades práticas, tudo realizado nas dependências do SICTC.

A coordenadora pedagógica Grasiela Rutiel Huff explica que a atividade pretende estimular a implantação de hortas urbanas, com base na lei 15.222/2018, cuja finalidade é a promoção sustentável de alimentos no meio urbano. “São os primeiros passos para um objetivo maior, que é a construção de uma estufa aqui na sede do Sindicato, para a produção de mudas de hortaliças. A nossa estufa será a base de distribuição das mudas que abastecerão as futuras hortas da cidade”, antecipa Grasiela.

PRÓXIMO CURSO
De 8 a 10 de maio, está programado o curso de processamento de hortaliças, também no SICTC. Interessados podem entrar em contato pelo (51) 3546-3066.

Vale do Paranhana é destaque na Assembleia

O deputado estadual Dalciso Oliveira (PSB) ocupou recentemente o grande expediente da Assembleia Legislativa gaúcha para apresentar ao público as potencialidades da região que o elegeu, o Vale do Paranhana. Assistiram ao seu pronunciamento, que ocorreu em 14 de fevereiro, empresários e autoridades locais, entre as quais o presidente do Sindicato da Indústria de Calçados, Componentes para Calçados de Três Coroas (SICTC), Joel Brando Klippel. O parlamentar enfatizou a força do vale, que reúne os municípios de Igrejinha, Três Coroas, Parobé, Taquara, Riozinho, Rolante e Nova Hartz.

Dalciso mencionou que a população da região ultrapassa 220 mil habitantes, e falou sobre o protagonismo do setor industrial que, em 2016, foi responsável pela arrecadação de R$ 1,7 bilhão de ICMS. “É um polo econômico e industrial com 9 mil empresas ativas e que tem o PIB de quase R$ 6 bilhões”, ressaltou. Também acrescentou que é preciso valorizar o Paranhana, pois representa a 12º economia do Rio Grande. Dalciso detalhou a importância em incentivar o empreendedorismo e desburocratizar o setor e criticou o que chamou de “caixa preta dos benefícios fiscais”. Também propôs a modernização da política de incentivos do Rio Grande do Sul.

A localização privilegiada, os eventos culturais e o fluxo de visitantes foram enaltecidos, bem como a qualidade na educação. “A Faccat é a quarta maior universidade do país”, lembrou o parlamentar, ao agradecer a presença do diretor da faculdade, Delmar Backes.

Colegas deputados fizeram apartes durante o discurso de Dalciso, elogiando a iniciativa de homenagear uma das regiões mais prósperas do Estado.

SICTC aposta na ampliação do estande Três Coroas Shoes na Fimec

Reconhecida pelo mercado como a única feira do mundo a reunir toda operação do setor coureiro-calçadista em um mesmo local, a 43ª edição da Fimec contou, pelo segundo ano consecutivo, com a participação do estande do Três Coroas Shoes em seus pavilhões, na Fenac, em Novo Hamburgo/RS. Trata-se de uma iniciativa do Sindicato da Indústria de Calçados, Componentes para Calçados de Três Coroas (SICTC), cujo intuito é dar mais visibilidade e oportunidades às empresas do segmento de componentes associadas à entidade.

Conforme avaliação do executivo comercial Juliano Mapelli, houve um crescimento de 8% a 10% no volume de negócios fechados durante o evento, que ocorreu de 26 a 28 de fevereiro. No entanto, a maior expectativa é pelo pós-feira. “Muitos negócios são fechados após o evento”, diz Mapelli.
Participaram do estande do Três Coroas Shoes as empresas Ambiente Verde, Brocker, Cia Legbá/Pravage, Maflan e Ssalttec.

Ainda há muito espaço para que os negócios do ramo de componentes cresçam. “Temos muito potencial. São mais de 20 empresas associadas ao sindicato. É uma questão de trabalhar com este segmento a cultura de expor em feiras. Trata-se de uma oportunidade de divulgação da marca e dos produtos em um evento de nível internacional. Também permite consolidar nossos componentes dentro do setor”, acrescenta o gestor.
Para a edição de 2020, marcada para ocorrer de 10 a 12 de março, a expectativa é ampliar a quantidade de associados presentes no estande do projeto.

SICTC e ACI-NH/CB/EV firmam parceria

A partir de agora, interessados em realizar cursos oferecidos pela Associação Comercial, Industrial e de Serviços (ACI) de Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha terão acesso a qualificações sem precisar sair da cidade. O Sindicato da Indústria de Calçados, Componentes para Calçados de Três Coroas (SICTC) firmou parceria com a associação para trazer ao município treinamentos e palestras com profissionais de alto nível e sobre assuntos em pauta no mercado.
E já tem data o primeiro curso, fruto desta aproximação. Será dias 1º, 2 e 3 de abril, das 18h30 às 22h30, com o instrutor Eduardo Fogaça. O tema será Venda Mais e Melhor. Os encontros ocorrerão na sede do SICTC (Rua Duque de Caxias, 90, bairro Vila Nova), somando uma carga-horária de 12h.

“Trata-se de uma parceria de peso. São duas entidades representativas fortes em suas áreas de atuação. Como sindicato, é nosso papel viabilizar a qualificação das empresas associadas e de seus colaboradores. Esse é o principal objetivo da nossa parceria”, resume o executivo comercial do SICTC, Juliano Mapelli.
Na foto, Natashe Bolzan, coordenadora de Eventos da ACI, Fernanda Faleiro, coordenadora do setor de Cursos, e Mapelli.

SERVIÇO:
O quê: Treinamento Venda Mais e Melhor, com Eduardo Fogaça
Quando: Dias 1º, 2 e 3 de abril, das 18h30 às 22h30
Onde: Na sede do SICTC (Rua Duque de Caxias, 90, bairro Vila Nova, Três Coroas/RS)
Inscrições: http://www.acinh.com.br/curso/venda-mais-e-melhor-3
Investimento: Sócio: R$ 330,00; não-sócio: R$ 500,00
Outras informações: (51) 3546 1346 ou no e-mail: lucas@sindicatotrescoroas.com.br .

 

SAIBA MAIS:
VENDA MAIS E MELHOR
Objetivo:
Apresentar e discutir as etapas de uma venda de sucesso. Discutir metodologia de vendas e aplicação em um mercado competitivo e com clientes cada vez mais exigentes. Desenvolver argumentos de vendas e discurso adequados ao negócio.

Programa:
Que tipo de profissional eu sou?
O que me motiva? Meus sonhos…
O que é ser vendedor?
A chegada do cliente: a acolhida!
Como conversar e sondar o cliente?
Como apresentar o produto com entusiasmo?
O momento do fechamento da venda
E as objeções?
O pós-venda e sua importância
Reconquistando o mesmo cliente
Simulação de vendas: Hora de colocar a mão na massa!

Instrutor:
Eduardo Fogaça
Sócio-diretor da Eduke, tem experiência de mais de 17 anos em treinamento de pessoas. Atuou em empresas como Terra Networks, Oi, Labssj (SP) e Agencia Cravo (RJ). Graduado em Direito pela Unisinos (RS) e especialista em Gestão Estratégica e Inovação (MBA) pela Unilasalle (RS).

SICTC viabiliza participação de cinco empresas de componentes para a FIMEC

   O Sindicato da Indústria de Calçados, Componentes para Calçados de Três Coroas/RS (SICTC) participa pelo segundo ano consecutivo da Fimec – Feira Internacional de Couros, Produtos Químicos, Componentes, Máquinas e Equipamentos para Calçados e Curtumes.
De 26 a 28 de fevereiro, na Fenac, em Novo Hamburgo/RS, Ambiente Verde, Cia Legbá/Pravage, Maflan Bordados Eletrônicos, Palmilhas Brocker e Ssalttec Injetados Termoplásticos estarão em estande Três Coroas Shoes localizado no pavilhão 1, corredor D/E, nº 1076.
A estratégia dos expositores é aproveitar ao máximo esta que é considerada a maior feira do setor coureiro-calçadista da América Latina. Para o presidente do SICTC, Joel Brando Klippel, em função de o Rio Grande do Sul ser o maior polo de tecnologia de máquinas e componentes do Brasil, a região é privilegiada por ter um evento deste porte. “Por isso, entendemos a relevância de termos nossas indústrias na feira”, considera, acrescentando que as companhias que fazem parte do projeto só conseguiram estar na feira por conta desta ação cooperativada, a qual reduz significativamente os investimentos. “É uma modalidade inteligente de fazer negócios, otimizando custos. Esperamos aumentar os contatos e volumes de negócios de 2018”, projeta Klippel.

Indicadores econômicos sinalizam desempenho positivo para a indústria em 2019

   O ano de 2019 começa com bons indicadores para a economia do País e, em especial, para o Rio Grande do Sul. Segundo dados consolidados recentemente pelo IBGE, a indústria gaúcha encerrou 2018 com o segundo melhor desempenho do País. Houve um incremento produtivo de 5,5%. O RS só ficou atrás do Pará, que avançou 9,6%, resultado impulsionado pela extração de minério de ferro.
Nesta sexta-feira, 15 de fevereiro, o Banco Central divulgou boletim regional com o desempenho trimestral das condições da economia. Conforme o relatório, a atividade econômica na região sul cresceu 1,0% no trimestre encerrado em novembro de 2018, em relação ao finalizado em agosto, repercutindo, em especial, os resultados do setor terciário, principalmente do comércio. A evolução da carteira de crédito – em contexto de juros mais baixos e inflação controlada – continuou favorecendo a retomada da atividade no Sul. As vendas do comércio sugerem consistência do crescimento do setor, com elevação em nove das dez atividades pesquisadas.

CALÇADO EM ALTA
Ainda segundo o relatório do BC, a atividade industrial manteve-se estável no em igual período em comparação ao trimestre encerrado em agosto, quando o expressivo avanço repercutira a retomada da produção após a paralisação do setor de transporte de cargas. Das 18 atividades incluídas na pesquisa, houve aumento na produção em sete, principalmente, em veículos e calçados. Em doze meses, a indústria registrou recuperação consistente, liderada pela produção de automóveis. Essa retomada, aliada à evolução do mercado de crédito e à redução de incertezas no ambiente doméstico, levou à maior confiança dos industriais – o Icei (índice de Confiança do Empresário Industrial) totalizou 61,9 pontos no último trimestre no ano, ante 52,3 pontos no anterior e 58,3 pontos em igual período de 2017.

PRODUÇÃO DE TRÊS COROAS EM ALTA
Prévia do número de pares de calçados produzidos pelo polo de Três Coroas em 2018 indica retomada da atividade. Conforme dados apurados pelo Sindicato da Indústria de Calçados, Componentes para Calçados de Três Coroas (SICTC), no ano passado as indústrias locais fabricaram 11.500.426 pares, ante 10.861.541 contabilizados em 2017. Isso representa um aumento de 5,55% no volume produzido.