SICTC aposta na ampliação do estande Três Coroas Shoes na Fimec

Reconhecida pelo mercado como a única feira do mundo a reunir toda operação do setor coureiro-calçadista em um mesmo local, a 43ª edição da Fimec contou, pelo segundo ano consecutivo, com a participação do estande do Três Coroas Shoes em seus pavilhões, na Fenac, em Novo Hamburgo/RS. Trata-se de uma iniciativa do Sindicato da Indústria de Calçados, Componentes para Calçados de Três Coroas (SICTC), cujo intuito é dar mais visibilidade e oportunidades às empresas do segmento de componentes associadas à entidade.

Conforme avaliação do executivo comercial Juliano Mapelli, houve um crescimento de 8% a 10% no volume de negócios fechados durante o evento, que ocorreu de 26 a 28 de fevereiro. No entanto, a maior expectativa é pelo pós-feira. “Muitos negócios são fechados após o evento”, diz Mapelli.
Participaram do estande do Três Coroas Shoes as empresas Ambiente Verde, Brocker, Cia Legbá/Pravage, Maflan e Ssalttec.

Ainda há muito espaço para que os negócios do ramo de componentes cresçam. “Temos muito potencial. São mais de 20 empresas associadas ao sindicato. É uma questão de trabalhar com este segmento a cultura de expor em feiras. Trata-se de uma oportunidade de divulgação da marca e dos produtos em um evento de nível internacional. Também permite consolidar nossos componentes dentro do setor”, acrescenta o gestor.
Para a edição de 2020, marcada para ocorrer de 10 a 12 de março, a expectativa é ampliar a quantidade de associados presentes no estande do projeto.

SICTC e ACI-NH/CB/EV firmam parceria

A partir de agora, interessados em realizar cursos oferecidos pela Associação Comercial, Industrial e de Serviços (ACI) de Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha terão acesso a qualificações sem precisar sair da cidade. O Sindicato da Indústria de Calçados, Componentes para Calçados de Três Coroas (SICTC) firmou parceria com a associação para trazer ao município treinamentos e palestras com profissionais de alto nível e sobre assuntos em pauta no mercado.
E já tem data o primeiro curso, fruto desta aproximação. Será dias 1º, 2 e 3 de abril, das 18h30 às 22h30, com o instrutor Eduardo Fogaça. O tema será Venda Mais e Melhor. Os encontros ocorrerão na sede do SICTC (Rua Duque de Caxias, 90, bairro Vila Nova), somando uma carga-horária de 12h.

“Trata-se de uma parceria de peso. São duas entidades representativas fortes em suas áreas de atuação. Como sindicato, é nosso papel viabilizar a qualificação das empresas associadas e de seus colaboradores. Esse é o principal objetivo da nossa parceria”, resume o executivo comercial do SICTC, Juliano Mapelli.
Na foto, Natashe Bolzan, coordenadora de Eventos da ACI, Fernanda Faleiro, coordenadora do setor de Cursos, e Mapelli.

SERVIÇO:
O quê: Treinamento Venda Mais e Melhor, com Eduardo Fogaça
Quando: Dias 1º, 2 e 3 de abril, das 18h30 às 22h30
Onde: Na sede do SICTC (Rua Duque de Caxias, 90, bairro Vila Nova, Três Coroas/RS)
Inscrições: http://www.acinh.com.br/curso/venda-mais-e-melhor-3
Investimento: Sócio: R$ 330,00; não-sócio: R$ 500,00
Outras informações: (51) 3546 1346 ou no e-mail: lucas@sindicatotrescoroas.com.br .

 

SAIBA MAIS:
VENDA MAIS E MELHOR
Objetivo:
Apresentar e discutir as etapas de uma venda de sucesso. Discutir metodologia de vendas e aplicação em um mercado competitivo e com clientes cada vez mais exigentes. Desenvolver argumentos de vendas e discurso adequados ao negócio.

Programa:
Que tipo de profissional eu sou?
O que me motiva? Meus sonhos…
O que é ser vendedor?
A chegada do cliente: a acolhida!
Como conversar e sondar o cliente?
Como apresentar o produto com entusiasmo?
O momento do fechamento da venda
E as objeções?
O pós-venda e sua importância
Reconquistando o mesmo cliente
Simulação de vendas: Hora de colocar a mão na massa!

Instrutor:
Eduardo Fogaça
Sócio-diretor da Eduke, tem experiência de mais de 17 anos em treinamento de pessoas. Atuou em empresas como Terra Networks, Oi, Labssj (SP) e Agencia Cravo (RJ). Graduado em Direito pela Unisinos (RS) e especialista em Gestão Estratégica e Inovação (MBA) pela Unilasalle (RS).

SICTC viabiliza participação de cinco empresas de componentes para a FIMEC

   O Sindicato da Indústria de Calçados, Componentes para Calçados de Três Coroas/RS (SICTC) participa pelo segundo ano consecutivo da Fimec – Feira Internacional de Couros, Produtos Químicos, Componentes, Máquinas e Equipamentos para Calçados e Curtumes.
De 26 a 28 de fevereiro, na Fenac, em Novo Hamburgo/RS, Ambiente Verde, Cia Legbá/Pravage, Maflan Bordados Eletrônicos, Palmilhas Brocker e Ssalttec Injetados Termoplásticos estarão em estande Três Coroas Shoes localizado no pavilhão 1, corredor D/E, nº 1076.
A estratégia dos expositores é aproveitar ao máximo esta que é considerada a maior feira do setor coureiro-calçadista da América Latina. Para o presidente do SICTC, Joel Brando Klippel, em função de o Rio Grande do Sul ser o maior polo de tecnologia de máquinas e componentes do Brasil, a região é privilegiada por ter um evento deste porte. “Por isso, entendemos a relevância de termos nossas indústrias na feira”, considera, acrescentando que as companhias que fazem parte do projeto só conseguiram estar na feira por conta desta ação cooperativada, a qual reduz significativamente os investimentos. “É uma modalidade inteligente de fazer negócios, otimizando custos. Esperamos aumentar os contatos e volumes de negócios de 2018”, projeta Klippel.

Indicadores econômicos sinalizam desempenho positivo para a indústria em 2019

   O ano de 2019 começa com bons indicadores para a economia do País e, em especial, para o Rio Grande do Sul. Segundo dados consolidados recentemente pelo IBGE, a indústria gaúcha encerrou 2018 com o segundo melhor desempenho do País. Houve um incremento produtivo de 5,5%. O RS só ficou atrás do Pará, que avançou 9,6%, resultado impulsionado pela extração de minério de ferro.
Nesta sexta-feira, 15 de fevereiro, o Banco Central divulgou boletim regional com o desempenho trimestral das condições da economia. Conforme o relatório, a atividade econômica na região sul cresceu 1,0% no trimestre encerrado em novembro de 2018, em relação ao finalizado em agosto, repercutindo, em especial, os resultados do setor terciário, principalmente do comércio. A evolução da carteira de crédito – em contexto de juros mais baixos e inflação controlada – continuou favorecendo a retomada da atividade no Sul. As vendas do comércio sugerem consistência do crescimento do setor, com elevação em nove das dez atividades pesquisadas.

CALÇADO EM ALTA
Ainda segundo o relatório do BC, a atividade industrial manteve-se estável no em igual período em comparação ao trimestre encerrado em agosto, quando o expressivo avanço repercutira a retomada da produção após a paralisação do setor de transporte de cargas. Das 18 atividades incluídas na pesquisa, houve aumento na produção em sete, principalmente, em veículos e calçados. Em doze meses, a indústria registrou recuperação consistente, liderada pela produção de automóveis. Essa retomada, aliada à evolução do mercado de crédito e à redução de incertezas no ambiente doméstico, levou à maior confiança dos industriais – o Icei (índice de Confiança do Empresário Industrial) totalizou 61,9 pontos no último trimestre no ano, ante 52,3 pontos no anterior e 58,3 pontos em igual período de 2017.

PRODUÇÃO DE TRÊS COROAS EM ALTA
Prévia do número de pares de calçados produzidos pelo polo de Três Coroas em 2018 indica retomada da atividade. Conforme dados apurados pelo Sindicato da Indústria de Calçados, Componentes para Calçados de Três Coroas (SICTC), no ano passado as indústrias locais fabricaram 11.500.426 pares, ante 10.861.541 contabilizados em 2017. Isso representa um aumento de 5,55% no volume produzido.

Escola de Sapateiros é oportunidade de crescimento profissional

   O futuro profissional de 16 pessoas ganhou novas possibilidades a partir da noite da última quinta-feira, 24 de janeiro. Eles formaram-se sapateiros no curso promovido pelo Sindicato da Indústria de Calçados, Componentes para Calçados de Três Coroas, iniciativa que conta com a parceria da prefeitura local e da Faccat.
Familiares e dirigentes das empresas parceiras, além da equipe do SICTC, participaram da entrega de certificados, realizada na sede da entidade.
Daniele Spindler, 31 anos, trabalha no controle de qualidade de uma indústria da cidade. Ela foi convidada pela empresa para participar da Escola de Sapateiros. “Me deparei com um projeto sério, completo e de conteúdo. Espero que outros colaboradores se motivem a fazer o curso, pois agrega muito conhecimento”, elogia Daniele. Ela acrescenta que, através das experiências adquiridas no curso, pôde melhorar, “e muito”, seu desempenho. “Só tenho a agradecer”.

 

NOVA TURMA

  Já estão abertas as inscrições para a próxima turma. Interessados em participar podem contatar pelo (51) 3546-1346 ou e-mail lucas@sindicatotrescoroas.com.br.
O instrutor Darlei Lino de Souza explica que no curso os alunos têm a oportunidade de aprender com enfoque prático os processos de confecção de um calçado, da seleção da matéria-prima até o calce. “Cada um produz em média oito pares de modelos diferentes, para aprimorar seus conhecimentos”, comenta, o que comprova o quão prática é a qualificação.
Além disso, os alunos têm visitas técnicas, para conhecer a fabricação dos componentes de um calçado, o processo de cada item, tudo para que os valorizem e também para ampliar sua visão sistêmica da organização.
Palestras e bate-papos com técnicos, parceiros da escola e de empresas servem como troca de experiências profissionais e até pessoais com os alunos. Tudo para que tenham uma formação ampla, para que possam melhorar o seu trabalho, o resultado da empresa e também crescer dentro da organização.

 

Indústria calçadista no caminho da recuperação dos empregos

   A indústria calçadista do RS teve um dos piores desempenhos no que diz respeito ao mercado de trabalho no ano de 2018. Conforme dados da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, foram fechados 3.822 postos de trabalho com carteira assinada. Informações da Inteligência de Mercado da Abicalçados, que incluem ainda ateliês e fabricantes de partes do calçado, dão conta da extinção de 5.567 vagas. Na contramão, o Rio Grande do Sul teve o primeiro saldo positivo após três anos, ao criar 20.249 vagas.

   Para o presidente do Sindicato da Indústria de Calçados, Componentes para Calçados de Três Coroas, Joel Brando Klippel, o otimismo nacional em relação às mudanças sócio-econômicas, o crescimento sobretudo no último trimestre do varejo, aliado à alta eficiência e qualidade dos profissionais gaúchos são fatores que permitem ao dirigente dizer que as demissões serão revertidas em admissões. “Porém, em ritmo menor que o necessário, pois com a carga tributária do RS sendo a maior do País, em média 10%, nos cria enormes dificuldades de competição”, acrescenta Klippel.

Conheça os projetos de Klippel para a nova gestão do SICTC

Aos 40 anos, o empreendedor do setor de componentes Joel Brando Klippel já tem planos bem definidos para que o Sindicato continue crescendo e apoiando o empresariado local. O novo presidente da entidade seguirá na defesa do ICMS igual para todos e antecipa um projeto na área ambiental que beneficiará a todos. Confira:

 

O que o industrial calçadista pode esperar de 2019?
Fatos políticos recentes, envolvendo as eleições, nos motivam a acreditar que um período positivo se aproxima. O setor ficou bastante fragilizado nos últimos anos, mas existe uma sinalização de mudança que nos deixa animados.

Que mudanças seriam estas?
As promessas dos novos governos (estadual e federal) de reduzirem as despesas públicas, a estabilidade do dólar desde a eleição e do cenário econômico em si… Tudo isso deve gerar novos investimentos e alavancar negócios. Se o consumo das famílias brasileiras voltar a crescer, é possível que até empregos no setor calçadista sejam recuperados, pois o mercado sente os reflexos rapidamente. As fábricas de Três Coroas estão com estrutura ociosa e o prazo de entrega está cada vez mais curto, ou seja, se as vendas aumentarem,
haverá urgente necessidade de empregar.

Que assunto estará no topo das suas preocupações neste primeiro ano de gestão?
A bandeira da próxima gestão será pleitear a equiparação da carga tributária do Rio Grande do Sul com outros estados. Acreditamos que esta igualdade é fundamental para as empresas, por isso vamos priorizar o movimento ICMS igual para todos.

E no setor ambiental, alguma novidade prevista?
Sim! Uma parceria com uma empresa que fará investimentos para a geração de energia elétrica de forma sustentável já está em andamento. Ela será instalada em Araricá e produzirá energia a partir da queima de resíduos como restos de sintéticos e palmilhas. O projeto já está em uma fase bem avançada para iniciar a operação, finalizando as licenças ambientais. Estará a pleno em 2020, quando irá consumir 40 toneladas de resíduos por dia, beneficiando a cadeia calçadista da região.

Como ficará o apoio às feiras realizadas pela Merkator?
Deve seguir e a principal mudança será o fortalecimento da feira 40 Graus, no Nordeste. Com novo conceito, parceria com feiras locais e mudança para João Pessoa/PB, ela deve ganhar muito mais força.

Os projetos de responsabilidade social terão seguimento?
Queremos dar continuidade a todos eles. Também iremos oferecer mais cursos de qualificação profissional, sendo que já estamos em contato com três instituições de ensino. Serão cursos rápidos, na área produtiva, ministrados no próprio Sindicato à noite.

Há mais alguma novidade prevista?
Também queremos ampliar os serviços oferecidos para empresas de componentes e de pré-fabricados. Vamos criar departamentos específicos para orientar estes segmentos, principalmente nas áreas de consultoria ambiental e jurídica. Empresas pequenas são muito carentes destes serviços.

Ações garantem um Natal mais feliz para centenas de crianças

O SICTC tem, entre suas prioridades, o bem-estar da comunidade em que está inserido. Para cumprir este importante papel, promoveu diferentes ações para tornar o Natal de centenas de crianças de Três Coroas mais feliz. Durante jantar de posse da nova diretoria da entidade, realizado em 29 de dezembro, sugeriu aos convidados que trouxessem brinquedos. Todos entraram no clima natalino e foi possível arrecadar em torno de 80 presentes, entregues aos alunos da Apae de Três Coroas no dia 11 de dezembro. No dia 12, outras dez crianças atendidas pelo Cras foram beneficiadas. Sábado, 15, foi a vez do Papai Noel distribuir 700 kits de doces para crianças de seis localidades carentes da cidade. Fica nosso agradecimento especial aos papais noéis do Pi Lanches e Cepas Martinho.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Nova presidência do SICTC assume em janeiro de 2019

O ano de 2019 começa com novidades na direção do Sindicato da Indústria de Calçados, Componentes para Calçados de Três Coroas. Werner Arthur Müller Júnior deixa a presidência para dar lugar a Joel Brando Klippel. O jantar de posse ocorreu dia 29 de novembro, quando a nova diretoria foi apresentada aos associados. Confira, a seguir, como fica a equipe para a gestão 2019-2021.

Presidente: Joel Brando Klippel

1º vice-presidente: João Batista Vargas de Souza

2º vice-presidente: Ana Paula Breyer Roldo

Secretário: Milton Steffen

2º secretário: Arcelino Brocker

Tesoureiro: Márcio Port dos Santos

2º tesoureiro: Flávio Ellwanger

 

Suplentes

Lauri Joãosinho Sander

José Ricardo Machado de Abreu Pinto

Célcio Cecconello Furlanetto

Fábio Agusto Spohr

 

Conselho Fiscal

Cleonice Aparecida Idalino Sobrinho

Jocelaine Ellwanger

Rogério Marcos Anastácio

 

Suplentes

Antônio Slovinschi de Moraes

Edi Berti

 

Delegados representantes junto à Fiergs

João Batista Vargas de Souza

Joel Brando Klippel

 

Suplentes

Werner Arthur Müller Júnior

Orceni Jorge Bernardi

 

Conselho de Administração

Orceni Jorge Bernardi

Analdo Slovinski Moraes

Werner Arthur Müller Júnior

Nilson Erineu Spohr

Rogério Darci Müller

Projeto “Eu fiz seu calçado” em Três Coroas

👠 DIA DO SAPATEIRO! 👢
Neste 25 de outubro comemora-se o Dia do Sapateiro. E, para celebrar estes profissionais, começa hoje a série “Eu fiz seu calçado”.

Giovani Mapelli: 40 anos dedicados ao calçado.
Como o maestro é, para um orquestra, o responsável por coordenar o ritmo de uma apresentação, Giovani Mapelli, 53 anos, é, para a Werner Calçados, quem dá o tom de todos processos que envolvem a produção de um sapato. “Eu programo e faturo”, resume o gerente industrial, esbanjando simpatia e disposição de quem, há 40 anos, vive entre as esteiras. Sua história na Werner começou aos 13 anos, na montagem, mas seu sonho, mesmo, era ser contramestre. Se achava pequeno demais para grandes responsabilidades. Com o calçado correndo em suas veias, hoje foca em deixar um legado aos jovens que iniciam no ofício. Assista ao vídeo de Mapelli em nossa fanpage:
https://www.facebook.com/trescoroasshoes/videos/2176292889069796/.