SICTC busca aproximação com o Comitesinos

O Sindicato da Indústria de Calçados, Componentes para Calçados de Três Coroas (SICTC) está em processo de reformulação de seus serviços de gestão ambiental. Além de encerrar a Central de Triagem, localizada junto de sua sede, por conta da redução da demanda por este suporte, a direção também estuda formas de tornar as ações realizadas em prol do meio ambiente ainda mais efetivas.
Um passo em direção a este propósito foi dado no dia 17 de junho, quando a técnica ambiental do SICTC, Sabrina Faiffer, e o presidente da entidade, Joel Brando Klippel, estiveram na sede no Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos (Comitesinos), em São Leopoldo/RS. Eles foram recebidos pelo presidente do Comitê, Adolfo Klein, e pela secretária-executiva Viviane Nabinger. A ideia é estreitar relações entre as entidades e buscar maneiras de unir forças para possíveis parcerias em prol da Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos.
Durante o encontro, Klippel e Sabrina apresentaram o Selo Verde, certificação concedida pelo SICTC para empresas comprometidas em dar o destino correto aos resíduos que geram.
Novos encontros estão previstos, para que se possa avançar no projeto.

Foto: Comitesinos/Divulgação

SICTC desativa Central de Triagem e remodela serviços de gestão ambiental

Depois de servir de exemplo para o País, ao zerar, em 2017, o passivo ambiental gerado pela indústria calçadista local, o Sindicato da Indústria de Calçados, Componentes para Calçados de Três Coroas/RS (SICTC) anuncia a reestruturação dos serviços relacionados à gestão ambiental. As mudanças são reflexo do crescente mercado relacionado ao reaproveitamento de rejeitos e às novas tecnologias necessárias para o processamento adequado dos diferentes componentes utilizados na fabricação de calçados. Por conta destas transformações, nos últimos anos, o prédio de 1,5 mil metros quadrados da Central de Triagem vinha sendo subutilizado e, ao invés de ser um serviço rentável para a entidade, vinha acumulando prejuízos anuais de R$ 150 mil.

“Em 23 anos da Central de Triagem, o sindicato tornou-se especialista na coleta e destino correto de resíduos. Nunca houve uma notificação. Pelo contrário, prestava-se um trabalho exemplar. Mas novas tecnologias foram surgindo, empresas especializaram-se em diferentes processos de reaproveitamento e transformação de resíduos, e estes novos prestadores de serviço passaram a negociar diretamente com as indústrias. Não haveria como competir com eles sem altos investimentos”, detalha o presidente do SICTC, Joel Brando Klippel.

Ele explica que foram três meses de estudos e análises de números e o impacto junto aos associados, até que, em assembleia, foi aprovado o encerramento da central. Houve desligamento de quatro funcionários que atuavam diretamente no pavilhão. Também foi vendido o maquinário instalado no local e o prédio foi recentemente alugado pela indústria de calçados femininos MS. Com a reestruturação, agora o SICTC tem um superávit de R$ 84 mil.

PREJUÍZOS AFETAVAM COFRES DA ENTIDADE

Klippel acrescenta que até para o associado o serviço oferecido na Central de Reciclagem do SICTC não era vantajoso, uma vez que pagava-se em torno de 50 centavos mais caro por quilo de rejeito recolhido. A partir desta constatação, a equipe do sindicato prospectou serviços disponíveis no mercado considerados referência na área e chegou à Dirtel. Com sede em Igrejinha e mais de 30 anos de expertise na coleta, triagem e destinação adequada para rejeitos, a companhia tem uma cartela de clientes que inclui algumas das maiores indústrias do Rio Grande do Sul.

COMO FICA AGORA

A partir de agora, o SICTC passa a oferecer um serviço completo de consultoria ambiental, que inclui emissão de licenças ambientais, de operação, além de parceria com geólogo e biólogo, o que será oferecido aos associados com valor até 30% mais em conta do que o praticado pelo mercado. “A indústria calçadista que quiser se instalar em Três Coroas encontrará todas as licenças e serviços que precisa conosco”, avisa Klippel.

REFERÊNCIA NACIONAL

Em 23 anos de operação, a Central de Reciclagem recebeu em torno de 40 mil toneladas de resíduos sólidos da indústria calçadista local. Todo passivo ambiental armazenado foi coprocessado e beneficiado e, hoje, Três Coroas é referência nacional na eliminação do passivo ambiental que havia em aterros locais, desativados por meio de um amplo trabalho de conscientização junto às indústrias da cidade.

RESÍDUOS DISPUTADOS PELO MERCADO DE RECICLAGEM

Por conta do surgimento de novas tecnologias, hoje, o manejo de resíduos tornou-se um mercado de muitas possibilidades. “Os resíduos da indústria calçadista podem virar componentes para fabricação de cimento, adubo orgânico, entre outros desdobramentos”, comenta a técnica ambiental do SICTC, Sabrina Faiffer. Ela lembra que, nos primórdios da Central de Triagem, em 1996, 80% dos resíduos que eram recebidos na unidade tinham como destino um aterro (valas para disposição de resíduos), o que demandava controle e monitoramento ambiental, além de representar riscos ao meio ambiente.

Com o passar dos anos, tecnologias surgiram e materiais que tinham como destino as valas viraram item cobiçado por empresas recicladoras. “Continuaremos a exercer nosso papel, oferecendo a nossos associados o trabalho de gerenciamento dos resíduos, controle de destinação final, emissão de manifesto de transporte, assessorias ambientais e selo verde. Resumindo, todo o trabalho desenvolvido seguirá o mesmo, o que mudou foi a forma de coleta e armazenamento temporário dos resíduos”, esclarece Sabrina.

Fotos: Divulgação/SICTC

 

Imagem da Central no ano de 2012
Imagem da Central no ano de 2012.
Imagem recente, anterior ao encerramento da central
Imagem recente, anterior ao encerramento da central.
Hoje, espaço é alugado pela empresa MS
Hoje, espaço é alugado pela empresa MS

Expositores do estande Três Coroas Shoes satisfeitos com presença na Francal

Foram contabilizados os resultados obtidos pelos expositores do estande Três Coroas Shoes na 51ª Francal, que ocorreu de 3 a 5 de junho, no Expo Center Norte, na capital paulista. Seis marcas compartilharam o estande de 200 metros quadrados, espaço muito bem frequentado por lojistas vindos, principalmente, da grande São Paulo, de Minas Gerais, Espírito Santos e Rio de Janeiro. Andine, Eléia, Infinitu’s, Stéphanie Classic, Valentina e Variettá, juntas, comercializaram 31.690 pares. O volume deste ano representou R$ 1.834.350,00. A média de pares por empresa foi de 5.282, o equivalente a R$ 305.725,00, com valor médio do par negociado a R$ 57,88.
Para o executivo comercial do Sindicato da Indústria de Calçados, Componentes para Calçados de Três Coroas, Juliano Mapelli, a feira surpreendeu. “Inicialmente, estávamos sem grandes pretensões, por conta da proximidade com o SICC. Mas esta edição da Francal acabou sendo positiva. Nossos expositores estão satisfeitos e cumprimos nosso papel enquanto sindicato. O projeto vem crescendo, de quatro expositores passamos a seis, e nossa projeção é que mais empresas do polo façam parte”, analisa ele.
O estande Três Coroas Shoes foi o único representante do polo na Francal. Adepta do espaço coletivo nas feiras de São Paulo e Nordeste, a diretora da Valentina, Ana Paula Roldo, confirma os bons resultados obtidos pela presença na mostra. “Abrimos novos clientes e atendemos principalmente aqueles lojistas que não foram ao SICC”, aponta. Ela acrescenta que acredita muito na força do coletivo e, por isso, gosta de estar junto dos colegas empreendedores. “Levamos em conta os custos reduzidos, mas também entendemos que, juntos, mostramos a força e a qualidade do polo, acima de tudo. Desta forma, ainda otimizamos tempo do lojista, que encontra o que precisa num mesmo lugar”, enfatiza Ana.

PROJETO GANHA FORÇA
A cada ano mais reconhecido por lojistas de dentro e fora do País, o estande Três Coroas Shoes tornou-se um destino indispensável para quem frequenta o circuito das principais feiras calçadistas brasileiras. Ano após ano, novos fabricantes do polo optam por fazer parte do projeto, por acreditarem na proposta do Três Coroas Shoes, cuja essência está no espírito colaborativo e de crescimento coletivo. “Com o mercado ainda muito contingenciado, sabemos da necessidade que todos têm de equalizar investimentos. Queremos que o projeto cresça ainda mais e estamos à disposição dos associados para agregar ainda mais marcas ao nosso estande”, sinaliza Mapelli.

Três Coroas Shoes representa o polo na Francal

Com novo posicionamento, a Francal chega à sua 51ª edição e gera grande expectativa do mercado quanto às novidades que promete apresentar.
De 3 a 5 de junho, no Expo Center Norte, a mostra foca na conexão entre indústria e varejo como grande diferencial da programação. E o projeto Três Coroas Shoes não poderia ficar de fora.
Para este ano de 2019, estarão no estande organizado pelo Sindicato da Indústria de Calçados, Componentes para Calçados de Três Coroas (SICTC) as marcas Andine, Eléia, Infinitu´s, Stéphanie Classic, Valentina e Variettá. O estande é o único representante do polo de Três Coroas no evento.
Para o executivo comercial do SICTC, Juliano Mapelli, a Francal é, sempre, uma oportunidade de ampliar a cartela de clientes e estar em contato com as novidades que acontecem no centro do País. “Nossa expectativa é boa, todos querem buscar resultado. Acreditamos que o volume maior de clientes será da região sudeste, como São Paulo, Sul de Minas Gerais, Rio de Janeiro, enfim, regiões mais próximas de São Paulo. Trata-se de um grande centro, então, podemos, sim, ter bons negócios”, projeta Mapelli.

A MODA DE TRÊS COROAS
As seis marcas participantes do estande têm uma essência bastante particular.
A Andine trabalha com materiais de qualidade e entrega a seus clientes lançamentos em sintonia com o que a moda pede. Amarelo é a cor predominante da nova coleção e fivelas em tartaruga agregam personalidade a tamancos, mules e scarpins. Outra marca reconhecida pelo alto padrão de seus produtos é a Eléia. Com modelos em couro, agregou ao mix a estampa animal em cores néon, grande aposta da temporada. Já a Infinitu´s tem como característica o uso de materiais naturais no solado e cabedal, tudo a ver com a próxima estação! Como bem traduz o nome, a Stéphanie Classic lança modelos necessários para qualquer sapataria que preze por materiais selecionados e modelos que nunca saem de moda. Famosa por suas flats, a Valentina traduz sua personalidade em modelos carregados de enfeites, texturas e acabamentos diferenciados. Com pares que vão do 33 aos 46, a Variettá firma-se no mercado com uma moda democrática e repleta de personalidade. Vale conferir as botas tigh high e os scarpins feitos em laminado com estampa arco-íris.

O estande do Três Coroas Shoes fica na Rua 5/F-F1.

SICTC apoia seminário da indústria calçadista

Está marcada para 26 de junho a 23º SNIC – Seminário Nacional da Indústria Calçadista. Desta vez, a programação ocorre no Centro de Eventos da Faccat, em Taquara/RS. O evento é uma realização da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) e dos Sindicatos das Indústrias de Calçados de Três Coroas (SICT) e de Igrejinha (Sindigrejinha). O tema central será “Marcas no limite. Marcas sem limites”.
Ao enfatizar a importância da parceria com a Abicalçados para o fortalecimento do setor calçadista nacional, o executivo comercial do SICTC, Juliano Mapelli, destaca que o tradicional evento, realizado há mais de 20 anos, sempre traz temas contemporâneos e de acordo com as necessidades de mercado, o que o torna fundamental para as indústrias representada pelo Sindicato. “O objetivo de apoiar a realização do evento é, sobretudo, oportunizar para o máximo de empresas e profissionais da área a qualificação”, avalia.
O gestor de Projetos da Abicalçados, Cristian Schlindwein, destaca que SNIC estimula debates sobre o fortalecimento de marcas, mesmo com limitações de rotina ou impostos pelo mercado. “Mais do que uma discussão sobre o futuro das marcas, iremos debater a realidade do mercado, as estratégias, ferramentas e caminhos para as marcas e os negócios. Traremos ao palco um olhar prático para entendermos ou ultrapassarmos nossos limites, sejam eles os limites entre lojas físicas e lojas virtuais, de orçamento, de produção, de tecnologia e todos os outros que são impostos para as marcas”, aponta o gestor. Sob curadoria da WTF School, o evento trabalha para trazer grandes nomes especializados no tema, que serão divulgados em breve.

PARCERIA DE SUCESSO
Presidente do Sindigrejinha, Erno Luis Feyh, ressalta que a parceria com a Abicalçados e o SICTC fortalece o setor, no sentido de dar mais força ao associativismo e à representatividade, tanto na conquista de pleitos para a indústria, como no compartilhamento de conhecimento e informação de qualidade. “A ideia de trazer o SNIC para mais perto do Vale do Paranhana também é um atrativo, pois aqui temos uma das principais regiões produtoras de calçados do Brasil”, comenta Feyh. No ano passado, as empresas do Vale do Paranhana produziram mais de 45 milhões de pares de calçados, dos 944 milhões produzidos em todo o País.

O SNIC tem o patrocínio da Couromoda, Francal e Colorgraf, parceria da Faccat e curadoria da WTF School. Os ingressos estarão disponíveis a partir da próxima semana no site http://www.abicalcados.com.br/snic.

SERVIÇO
23º SNIC
Data: 26/06/2019
Horário: das 9h às 17h
Local: Centro de Eventos Faccat (Avenida Oscar Martins Rangel, 4.500, Taquara/RS)
Mais em http://www.abicalcados.com.br/snic

 

 

 

WhatsApp Image 2019-05-28 at 16.49.48

SICC dá a largada para um segundo semestre promissor

Com 400 expositores e 1,4 mil marcas, a 28ª edição do SICC – Salão Internacional do Couro e do Calçado teve início nesta segunda-feira, 20 de maio, com pavilhões lotados e muito foco nas vendas para o segundo semestre. Em coletiva de imprensa, a direção da feira se disse bastante satisfeita com a repercussão e perspectivas e, inclusive, viu-se obrigada a liberar a entrada dos lojistas mesmo sem credencial, tamanha fila logo nas primeiras horas da programação.
A mostra ocupa 30 mil metros quadrados do Serra Park, em Gramado/RS, com os pavilhões 1, 2, módulo 4 e Estação 3. Neste ano, com apoio do Sindicato da Indústria de Calçados, Componentes para Calçados de Três Coroas (SICTC), foi viabilizada a vinda de mais de 200 importadores, vindos de em torno de 50 países. Destaque para o Equador, com uma delegação de 31 compradores, seguido do Peru e do Uruguai. Foram disponibilizadas 1 mil passagens e hospedagens a lojistas selecionados conjuntamente com o SICTC, além de outras 1,5 mil estadias, movimentando 77 hotéis de Gramado e Canela.
Outra boa notícia foi a participação de 33 empresas pela primeira vez e o retorno da Vulcabras Azaleia ao evento, o que só comprova a importância do SICC para todos os players do mercado. Destas 33 empresas, muitas são, inclusive, de fora do País, de olho nos compradores internacionais presentes nos pavilhões.

BOAS EXPECTATIVAS
Vice-presidente do SICTC, João Batista Vargas de Souza representou a entidade na coletiva e acredita que esta seja a melhor edição de todos os tempos. “Lá dentro está fervendo”, disse, referindo-se ao estande do projeto Três Coroas Shoes, cuja sua marca, Mulher Sofisticada, faz parte.
O polo de Três Coroas está representado por 20 empresas, dez delas presentes no espaço Três Coroas Shoes. A cobertura completa do evento você confere no Instagram (@trescoroasshoes) e Facebook (/trescoroasshoes).

TENDÊNCIAS
Nos estandes dos expositores de Três Coroas, entre as informações de moda que se destacam estão as estampas animais, muitas vezes usadas juntas num único modelo, e também materiais naturais, como cordas e jutas, aplicadas nos solados e cabedais. As mules seguem em alta, dividindo espaço com sandálias de tiras finas e saltos diferenciados, com forte influência da moda dos anos 1990.

SICC 2019 terá 20 empresas do polo calçadista de Três Coroas

A indústria calçadista de Três Coroas/RS estará representada por 20 empresas nesta edição do SICC – Salão Internacional do Couro e do Calçado, que começa nesta segunda-feira, 20 de maio, em Gramado/RS. Serão apresentados ao mercado lançamentos da temporada primavera-verão 2019/20
Protagonista no evento, o Sindicato da Indústria de Calçados, Componentes para Calçados de Três Coroas (SICTC) é parceiro da Merkator, promotora do evento, e auxilia na triagem de lojistas nacionais e internacionais que estarão nos pavilhões do Serra Park com suas despesas pagas. Também incentivou a criação do SICC, por acreditar na importância de uma mostra gaúcha, junto de um dos principais polos produtores do País.
Das 20 empresas participantes, dez estarão no estande do Três Coroas Shoes, projeto que visa o fortalecimento dos negócios locais, ao criar uma identidade única para o estande, além de ações como uma publicação de moda com conteúdo exclusivo dos associados, produzida em conjunto com o Grupo Sinos – a revista Três Coroas Shoes – e presença constante nas redes sociais.
Nesta edição, o estande do Três Coroas Shoes estará no Corredor J, nº 1006, com as marcas Aline Melo, Andine, Cia Perfeita, Eléia, Infinitu´s, Ipadma, Mulher Sofisticada, Rubra, Vanittà e Variettá.
As demais marcas que estarão em estandes individuais são: Bebecê, Cecconello, Di Cristalli, Divalesi, Karyby, Killana, Monferraro, Stéphanie Classic, Valentina e Werner.
O SICC ocorre de 20 a 22 de maio, no Serra Park, em Gramado/RS, das 9h às 19h, exclusivamente para lojistas.

1ª Festa Dia do Trabalhador é sucesso

A 1ª edição da festa Dia do Trabalhador, realizada no domingo, 5 de maio, no Ginásio Municipal Armando Brusius, em Três Coroas/RS, foi um sucesso. Com arquibancadas lotadas, o evento contou com shows, foodtrucks, oficinas, brinquedos infláveis e sorteio de 60 prêmios, incluindo uma motocicleta, 12 bicicletas, 5 tv’s, 5 ventiladores, 5 liquidificadores, 10 tablets, 6 microondas e 16 vales de R$ 500,00.
Foram parceiros do evento a CDL de Igrejinha e Três Coroas, o SICTC, a Associação dos Comerciários do Vale do Paranhana, o Sindicato dos Trabalhadores Agricultores Familiares de Três Coroas e o SindiSapateiros. O patrocínio foi da Schin e o apoio da prefeitura local.

A festa também teve cunho social. O lucro total do evento, resultou no repasse de R$ R$ 5.068,50 para o Hospital Dr. Oswaldo Diesel.

 

Confira a relação dos contemplados nos sorteios:
Prêmios em dinheiro:
Vanuza S. dos Santos (Calçados Bebecê), Itacir Cassol (SICTC), Zaira Schell (CK Muller), Angelita de Mattos Julhano (M. P. dos Santos Calçados), Jonathas Cézar Canesso (Calçados Bebecê), Joloir da S. Macedo (APAE), Stéfani Martins (Farmácia São João), Roseli Rodrigues Drehmer (Indústria de Palmilhas Martinho), Roger Ferreira da Silva (JIF), Ariani T. Petry Benetti (Calçados Q-Sonho), Ilse Seller (Calçados Di Cristalli) e Thaiz Rodrigues Valério (EMEF Rui Barbosa), Adriana Boeri Hedlund – Manuelly Calçados, Rosane Maria Santos de Matos (Calçados Di Cristalli), Henrique Schmidt (Sicoob) e Maria L. Ferreira (Calçados Bebecê)

Bicicletas:
Gabriel Gilberto Scherer (Calçados Bebecê), Edson Buske (Calçados Bebecê), Claudia Silva da Silva (Calçados Di Cristalli), Iveti S. da Silva (Prefeitura), Marta Gross de Oliveira (Fisiocenter), Felipe O. da Silva (Calçados Bebecê), Enor Mattos da S. Filho (Prefeitura) e Fagner F. Pereira (Madeireira Paranhana), Lisiane do Couto Rubert (Calçados Di Cristalli), Patrícia S. Lauffer (Loja Lebes), Aline H. Vieira Alves (CNN Palmilhas), Lucilene Sebastiana de M. Velho (Calçados Bebecê)

Microondas:
Grasiela R. Huff (SICTC) e Diéssica Monique Ritter (E.E.I. Cedelinho), Maristela Ribeiro da Silva (M. P. dos Santos Calçados) e Daniel Setti (Soft Injetados), Guilherme Brocker (Brocker Pneus), Valdoir dos Santos (Calçados Divalori)

Tv’s:
Fernanda de Quadros (Calçados Furlanetto), Elano Silmar Muller (Calçados Killana) e Rosmari Poli da Silva (Prefeitura), Tania Carvalho Guedes (Calçados Q-Sonho), Roseli Dossiatti Cemim (Casu Calçados)

Liquidificadores:
Solmi P. dos Santos (Cormuri Pintura e Injetados) e Ênio Von Dentz (Vitória Brasil), Carlos Otávio dos Reis (Prefeitura), Cézar Luis Delatéia (Salete Plach e Cia. Ltda) e Dirceu A . Posso (Soft Injetados Ltda)

Ventiladores:
Vanessa Benetti (Vanessa Benetti) e Viviane Taís de Lima (CK Muller), Adair Weber (Passos da Moda), Claudinéia Soares (Dicléo) e Iria Mattos de Lima (Calçados Bebecê)

Tablets:
Roselaine D. Lechner (Palmilhas Brocker), Anderson Scherer (Valentina Calçados) e Fátima Aparecida C. de Melo (Calçados Karyby), Jonatan Josué J. Henrich (Indústria de Bolsas Behling), Paulo R. de F. Vieira (CNN Palmilhas), Jacson C. S. de Lima (Madeireira Paranhana), Gilberto Ferrari (Calçados Bebecê), Marcos Luciano Wille (Werner Calçados), Kévin (Endutex Brasil), Lisete Prass (Calçados Karyby)

Motocicleta:
Luciano Bragatto Madruga (Ssalttec)

Representantes do SICTC entregam convite de feira para governador

O governador gaúcho Eduardo Leite recebeu, na tarde de sexta-feira, dia 3 de maio, uma comitiva de representantes do Sindicato da Indústria de Calçados, Componentes para Calçados de Três Coroas (SICTC) e da Merkator. O grupo foi à capital convidá-lo pessoalmente para visitar o próximo SICC – Salão Internacional do Couro e do Calçado que ocorre de 20 a 22 de maio, no Serra Park, em Gramado/RS.
Presidente do SICTC, Joel Brando Klippel, e o executivo comercial da entidade, Juliano Mapelli, estiveram no Palácio Piratini na companhia do diretor da Merkator, Frederico Pletsch. O deputado Issur Koch também acompanhou a visita.

O SICC
A expectativa dos organizadores é que esta seja uma edição histórica para o SICC. São mais de 400 expositores e 1,8 mil marcas à espera de lojistas de dentro e fora do País. Os fabricantes apresentarão suas apostas em calçados e acessórios para a temporada primavera-verão 2019/20.
Leite disse que é possível sua presente nos pavilhões da feira.

Ipadma conquista Prêmio Direções na categoria Sustentabilidade

A noite de 25 de abril foi de pura emoção para dezenas de empresas e profissionais, reconhecidos pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) na 7ª edição do Prêmio Direções. No evento, que também comemorou os 36 anos da entidade, houve posse do novo Conselho Deliberativo e Fiscal, além do anúncio do novo presidente executivo. Para o polo calçadista de Três Coroas, a premiação foi ainda mais significativa. A Ipadma, marca produzida pela Levine, com sede na cidade, foi premiada na categoria Sustentabilidade Micro/Pequeno porte.
“O prêmio reconhece nossa gestão orientada pela sustentabilidade, seguindo os pilares do economicamente viável, socialmente justa, ecologicamente correta e culturalmente engajadas”, comemora a designer e CEO da Levine, Sirlei Feiten. Ela acrescenta que, acima de tudo, o troféu valoriza a experiência e o conhecimento da equipe que, independentemente de seus cargos e níveis, acreditou no projeto como um caminho para o desenvolvimento profissional e, por consequência, nos resultados da empresa.

ENTENDA O PROJETO
Os calçados Ipadma nasceram no chão de fábrica, aproveitando o couro excedente da indústria, combinados com materiais reciclados e renováveis. “De nosso primeiro modelo Ipadma até aqui, praticamos o design sustentável, criando produtos com estética, ergonomia e conforto, que produzam impacto social positivo, com o mínimo de desperdício de matéria-prima e sem prejuízo ao meio ambiente”, detalha Ana Iwancow, responsável pela comunicação e marketing da companhia. O emprego de mão de obra local, a valorização do feito à mão e a identificação com o modo de consumo “slow fashion” conferem à marca diferenciais altamente valorizados por uma tribo de consumidores que só cresce.
“Aprendemos que fazer comunicação com responsabilidade social estimula mudanças de comportamento. Isso é possível através do diálogo nos canais de mídia. Esse prêmio consagra nosso entusiasmo pela cultura da sustentabilidade, que expressamos na comunicação e em nossa filosofia de trabalho”, acrescenta Ana.

Confira os demais vencedores:

Categoria: GESTÃO INDUSTRIAL
Médio/grande porte: Vulcabras/azaleia
Projeto Inovador para a área de Gestão Industrial, com foco em produtividade. A empresa criou uma cultura nos colaboradores, que se engajaram no projeto de produzir mais e melhor, por meio da gestão adequada do uso de matérias-primas, economia de água e energia elétrica, entre outros.

Micro/pequeno porte
Sem vencedor (cases não alcançaram o número mínimo de critérios para avaliação)

Categoria: SUSTENTABILIDADE
Médio/Grande porte: Savelli
A empresa vencedora na categoria Sustentabilidade médio/grande porte abrangeu os três pilares do conceito: ambiental, econômico e social. Investiu em políticas internas de reciclagem, reaproveitamento e descarte adequado de materiais; na utilização racional dos recursos naturais; instigou o desenvolvimento pessoal e profissional dos seus colaboradores; e trabalhou em parceria com entidades de auxílio à comunidade.

Categoria: MARKETING
Médio/Grande porte: Pimpolho
A tradicional indústria de calçados infantis Pimpolho desenvolveu um produto que une tecnologia e ludicidade. A empresa criou sapatinhos com canções de ninar para pequenos e pequenos de 0 a 7 meses de idade. O calçado, que funciona por meio de um aplicativo no smartphone chamou a atenção do mercado e conquistou crianças, mamães e papais.

Micro/pequeno porte: Elef Shoes
A Elef Shoes apostou em uma linha de produtos veganos co-criados com o mestre de yoga e influencer digital Carlo Guaragna. Com um DNA jovem e contemporâneo, a empresa desenvolveu calçados sustentáveis produzidos com materiais reciclados, especialmente lonas, e foi destaque na mídia nacional.

Categoria: DESIGN
Médio/grande porte: ÖUS
Fundada em 2008 com o objetivo de trazer a cultura de rua e do skate para o calçado, a ÖUS criou uma linha em parceria com a hamburgueria Whatafuck. O projeto consiste em um produto com solado construído à base do bagaço de malte, resíduo da produção cervejeira. Sob o slogan “Cerveja de verdade até na sola do pé”, a novidade foi lançada, em 26 de julho de 2017, na própria Whatafuck, que entrou de cabeça na parceria: ao comprar o produto, o cliente ganhava vouchers no valor dos tênis para consumir em hambúrgueres e cerveja na loja. .

Micro/pequeno porte: Bléque
A jovem empresa Bléque nasceu com um propósito e o coloca em prática diariamente. O projeto vencedor traz um calçado com design atemporal e com propósito ambientalmente correto, com utilização de materiais sustentáveis e auxílio a pequenos produtores. Em parceria com o atelier Natália Rios, a Bléque fabricou produtos com couros de pirarucu e tilápia isentos de cromo e chamou a atenção do mercado.

Categoria: INTERNACIONALIZAÇÃO
Médio/grande porte
A marca de calçados confortáveis Usaflex levou o Prêmio por conta de um projeto estruturado para a expansão internacional por meio de lojas licenciadas nos mercados da Bolívia, El Salvador, Costa Rica e Israel.

Micro/pequeno porte
Sem vencedor (cases não alcançaram o número mínimo de critérios para avaliação)

Categoria: MATÉRIA SETORIAL
A matéria vencedora do Prêmio Direções 2019 foi escrita pelos jornalistas Mary Silva e Nelson Zimmer, sob o título “Onde está o futuro?”. Abordando mudanças no perfil do consumidor contemporâneo, menos preocupado com ostentação e mais consciente ambiental e socialmente, a reportagem apresentou o impacto dessa transformação na estética dos produtos.

Conselho Deliberativo (2019/2022)

Analdo S. Moraes, Astor R. Ranft, Caetano Bianco Neto, Caio Borges, Carlos A. Mestriner, Claudio Chies, Darcio Klaus (Cisso), Jorge Bischoff, Junior César Silva, Marco L. Meller, Paulo Konrath, Renato Klein, Ricardo José Wirth, Rosnei A. Silva, Samir Nakad e Sérgio Gracia

Conselho Fiscal (2019/2022)

Danilo Cristófoli, Eduardo Jacob, José Paulo Boelter, Maurício de Vargas, Paulo Vicente Bender e Roque Justen