“Pedimos socorro”, diz Joel Brando Klippel em evento na Assembleia gaúcha

Com plateia lotada por lideranças empresariais e entidades da cadeia produtiva coureiro-calçadista, os deputados Issur Koch e Dalciso Oliveira lançaram, na segunda-feira, dia 15 de abril, no Salão Júlio de Castilhos da Assembleia Legislativa, duas frentes parlamentares destinadas à defesa e apoio ao setor.
Em seu pronunciamento, o presidente do Sindicato da Indústria de Calçados, Componentes para Calçados de Três Coroas (SICTC), Joel Brando Klippel, apontou o movimento de migração de empresas gaúchas para outros estados, atraídas por incentivos fiscais, e enfatizou que o RS tem 350 mil trabalhadores vivendo da indústria sapateira. “A gente pede socorro e o que precisamos é um ICMS igual. Queremos competir de igual para igual com todos os estados do Brasil”, disse o dirigente.
O deputado Issur destacou que a intenção é somar esforços pela geração de emprego e renda. “Essa é a primeira vez que a Assembleia terá duas frentes destinadas a esse importante setor da economia gaúcha, mas que terão atuações distintas, sem deixar de complementarem-se entre si. Estamos colocando nossas vozes e nossos mandatos para diminuir a burocracia, para auxiliar nas esferas estadual e nacional a fim de que possamos retomar postos de trabalho e proporcionar o cenário ideal para quem empreende neste Estado”, anunciou.
Empresário do ramo há quase 26 anos, Dalciso destacou que as crises se acumularam e continuaram numa crescente durante este período. “Sem nos darmos por conta, ao invés de trazer novos negócios, evoluir a cadeia produtiva e abrir novos mercados para que produzíssemos com um custo satisfatório para o mercado, fizemos o contrário. Exportamos nossas matrizes para outros estados”, explicou.

ICMS DESLEAL
A crítica do parlamentar aponta a concorrência desigual que o setor enfrenta no País e que fica ainda mais desleal no Rio Grande do Sul, onde as alíquotas de ICMS estão acima daquelas que são praticadas em outros estados. “Enquanto os governos acharem que mantendo essas alíquotas resolverão a arrecadação do estado, nada vai mudar. O setor estará deixando de produzir, engavetando projetos gaúchos e contribuindo com a evasão das nossas empresas e o crescimento do setor em outros estados”, ponderou.

TRABALHO INTEGRADO
Presidente-executivo da Abicalçados, Heitor Klein falou da importância das duas frentes atuarem em conjunto. “A indústria de calçado tem papel preponderante na geração de emprego. Vivemos um momento delicado para a cadeia produtiva e contamos com um trabalho integrado para que o setor possa retirar entraves para seu desenvolvimento”.

EMPREENDEDOR COMO PARCEIRO
O presidente da Associação das Indústrias de Curtume do Rio Grande do Sul (AICSul), Moacir Berger de Souza, disse que as frentes têm muito a contribuir pelo setor. “Os governos em todas as esferas precisam ver o empreendedor como um parceiro. Contamos com o trabalho das frentes para sensibilizarmos os governantes a adotarem políticas públicas que criem um ambiente favorável aos negócios”, finalizou.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s